Horta em casa · Lixo zero

Vamos falar sobre compostagem?

Quando eu me mudei para o sítio, eu era a ansiedade em pessoa para montar hortas e mais hortas, mas com pouco tempo eu aprendi que a vida aqui era muito mais do que isso. As árvores e outras plantas precisam ser manejadas, cuidadas, podadas. Elas se renovam periodicamente produzindo muita folha seca. E na época dos frutos, se o cuidado não for redobrado, a população de moscas e insetos locais cresce, por ter muito alimento.

E foi numa loucura de ter três mangueiras lotadas de mangas, e muitas delas se estragando, que nasceu a primeira composteira daqui (hoje são cinco), feita de pallets. Essa primeira composteira recebeu as mangas que se espalhavam pelo chão, muita folha seca, restos da cozinha de cascas de verduras e frutas. Como na época eu sabia pouco sobre o assunto, acabou que demorou mais tempo do que devia para o composto ficar pronto, mas serviu de experiência para as composteiras seguintes.

IMG_20170309_165346
Mudinhas de açafrão com cobertura de palha de coqueiro triturada

Como funciona a compostagem?

Na compostagem, os fungos e bactérias fofinhos degradam toda a matéria orgânica, resultando um composto rico em nutrientes para as plantinhas. E é ela que te proporciona o aproveitamento de pelo menos 40% de todo o lixo produzido na sua casa. Sim, eu vi o meu lixo semanal diminuir quase pela metade como um passe de mágica.

A sua composteira pode ser feita de baldes plásticos, comprada na internet (tem vários sites que vendem umas bem bonitas) ou pode ser apenas uma pilha no seu quintal. Em apartamentos é melhor usar composteiras menores e que usem minhocas para acelerar o processo. No quintal, você pode optar por não usar minhocas e fazer a composteira no chão. Aqui no sítio, as composteiras são feitas no chão e tem uma variedade enorme de pequenos animais que vem ajudar no processo de compostagem, de todas as cores e tamanhos. As minhocas aparecem sempre no final do processo pra se alimentar, elas tem gostado tanto do trabalho de recuperação do solo que estamos fazendo por aqui que é fácil achar elas por toda a horta. O mais importante é que são todas livres para ir e vir na hora que quiserem e por isso, um bom indicador de solo fértil.

comp
As primeiras composteiras ninguém nunca esquece

Ingredientes para uma boa compostagem

Uma boa proporção de materiais para a sua compostagem é: uma parte de material fresco (nitrogênio) para 2 ou 3 partes de material seco (carbono). O material fresco são os restos e cascas de frutas, verduras e legumes, sachês de chá, borra e filtro de café e casca de ovos (se você consumir). Aqui em casa, nós não tomamos café, então acabo trazendo a borra de café lá do escritório. O material seco são folhas secas, raspa de madeira.

Os restos de poda de plantas também podem ser acrescentados na composteira (no caso de composteiras maiores) e poda de grama (para todos os tamanhos de composteira). Aqui no sítio, usamos poda de grama (do vizinho) para cobrir os canteiros e o que sobra vai para a compostagem.

Outros dois ingredientes importantíssimos são oxigênio e água. Sim, sua composteira precisa “respirar” para que o processo realizado pelas bactérias e fungos funcione direitinho. E ela deve estar sempre úmida para acelerar o processo.

Não coloque na sua composteira restos de comida cozida e oleosa, nem restos animais (carne ou leite/iogurte) e evite frutas cítricas. Se a sua compostagem for feita no chão, dá para acrescentar um pouco de cascas de frutas cítricas, mas sem exagero.

Quando terminar de montar sua pilha, a última camada deve ser de material seco, para evitar incidência de moscas.

IMG_20170314_141224548
Folhas em processo de decomposição

E depois da pilha montada?

Verifique sempre se a sua pilha está úmida. Se estiver muito seca, acrescente um pouco de água, mas tenha cuidado para não encharcar a pilha, pois água de mais ou de menos desaceleram o processo.

Revire e misture sua pilha pelo menos uma vez por semana. No auge da compostagem, sua pilha pode chegar até a 70ºC e revirar ajuda a aerar, misturar os materiais e distribuir melhor o calor.

Dependendo do tipo e dos materiais que forem adicionados na sua composteira e da quantidade de água, o processo pode durar de 20 dias até alguns meses. Se a sua composteira usar minhocas, elas vão começar o trabalho delas quando o calor da pilha começar a diminuir. Aqui no sítio, o composto é revirado semanalmente e fica pronto numa média de 30 dias.

Você vai saber quando o composto estiver pronto, quando ele for uma terra escura e uniforme. Para adubar as plantas, coloque uma camada de 2 a 3 centímetros de composto no “pé” da planta. Com as regas (ou chuva), os nutrientes irão penetrar no solo e serão absorvidos pelas raízes.

Se você usar composteiras de baldes ou aquelas bonitonas que são vendidas pela internet, você vai poder coletar o chorume, que é um biofertilizante maravilhoso. Dilua ele na proporção de 1 parte de chorume para 10 partes de água e borrife nas suas plantinhas.

Para montar sua composteira gastando pouco dinheiro, dá uma olhada nesse post do Ciclo Vivo: Aprenda a fazer uma composteira caseira

Anúncios

Um comentário em “Vamos falar sobre compostagem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s