Horta em casa · Lixo zero

E chegou o dezembro…

Chegou dezembro, o último mês do ano, de confraternizações, festas natalinas, presentes…e muito lixo e desperdício.

Você sabe quanto lixo você produz? Eu te digo que não, porque eu não sabia o tanto de lixo que eu produzia (eu jurava que era pouco) até me mudar aqui para o sítio. Aqui não tem coleta de lixo, as pessoas juntam uma montanha de lixo numa rua aqui perto e vez por outra vem um caminhão pra recolher. Em alguns bairros, a situação é pior: eles queimam o lixo porque não passa nenhum caminhão para recolher. Por mais absurdo que isso pareça, essa é a realidade de muitas cidades brasileiras.

comp-2
Folhas trituradas para compostagem. Nenhuma vai pro lixo

Morando aqui, só tínhamos duas escolhas: fazer como todo mundo faz, ou começar a cuidar do nosso próprio lixo. E por mais que o vizinho da frente ache engraçado demais e uma perca de tempo, a gente resolveu cuidar do nosso lixo. Para os restos de comida, temos uma composteira, várias sacolinhas de tecido para diversos tamanhos de compras (da farmácia, até o supermercado), mas o maior desafio é se livrar totalmente do plástico. Parece que ele está em tudo!

comp
Composteiras de pallets

E chegou o lindo do dezembro: amigo secreto, festinha da empresa, natal da família, natal dos sem-família, ano novo, copo plástico, prato plástico, papel de presente, sacolas e mais sacolas, caixas, brinquedos de plástico, plástico, plástico….um pandemônio. Enquanto a gente não presta atenção no que consumimos, os aterros das cidades não comportam mais a quantidade de lixo que gerados, os lençóis d’água estão poluídos, os oceanos estão se transformando em uma sopa de plástico. É hora de mudarmos de atitude!

Hoje eu recebi um e-mail muito legal da Rafa Cappai, sobre presente com significado, e eu passo a ideia adiante, lançando um desafio para esse final de ano: vamos dar presentes com significado?

Presenteie com recompensas de crowdfunding, presenteie com uma experiência (pode ser  uma viagem, um passeio no parque, trilha, banho de cachoeira), presenteie com livros, cursos, workshops ou até com um serviço que você acha que a pessoa vai amar. Faça algo com suas próprias mãos, escreva uma carta, uma poesia, uma música. Compre do comércio local, direto do ateliê/loja do artista, compre de pequenos negócios que você conhece os donos, faça uma doação para uma causa social ou animal. Esqueça a cafeteira da moda com aquelas cápsulas horrorosas que não podem ser recicladas.

E aí, o que você acha desse desafio? Me conta como você pretende participar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s